quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O tempo passa...

É... o título tem fundamento...

Há algum tempo convivo com um casal de amigos muito próximos. Na verdade eles são amigos da família, quase parentes. Mas para mim esse "quase parentes" é um pouco mais forte. Na verdade fizeram parte de grandes momentos da minha vida. Momentos felizes e aqueles que para mim foram um tanto difíceis, nada de mais, apenas uma mudança de cidade quando era adolescente. Naquele momento foi difícil, mas hoje vejo que foi bom, tudo nos planos de Deus. Nessa fase, a da mudança de cidade, eles estiveram muito presentes. Quando vinha para São Paulo ficava na casa deste casal e eles sempre me tratando como alguém da família: um irmão, ou como falo algumas vezes, apesar da pouca diferença de idade, quase como um filho. A filhinha deles, nessa época, estava começando a ir à escola, então, quando estava em São Paulo, ajudava a colocá-la na perua escolar, sendo chamado pelo motorista da perua de "Tio Marquinhos".

Bom, voltei pra São Paulo e eles nessa época já tinham aumentado a família, com mais uma menininha linda . Depois de um tempo casei com a minha linda esposa e eles foram um dos primeiros a serem convidados como meus padrinhos. Quando ficamos sabendo que o Murilo estava para chegar, contamos a novidade primeiro para eles. Quando o Murilo nasceu, também foram um dos primeiros a irem à minha casa para conhecer o meu lindo bebê que Deus colocou na nossa vida.

Continuamos convivendo juntos, e o tempo passando...passando. Mas o principal motivo para eu escrever estas palavras, neste espaço, foi um convite que recebi no último domingo.

Aquela menininha que eu colocava na perua escolar, que me fez ser conhecido como "Tio Marquinhos, que eu vi crescer muito bem educada e sempre carinhosa, me contou que vai se formar e já é formatura de terceiro ano do colégio. Como o tempo passa!
E quando me chamou falando que tinha um pedido a fazer, que era ainda para o final do ano, me convidou para ser seu padrinho de formatura. Naquele momento fiquei realmente muito feliz, meio sem saber o que falar. Dei um forte abraço nessa menina, que já está quase entrando na faculdade, que ora tenho como uma sobrinha muito próxima, e ora como uma irmãzinha querida. Após o convite eu disse um feliz "eu te amo". Tive como resposta um carinhoso "eu também" dessa menininha que, para mim, nunca vai crescer.

Laerto, Lilian, Letícia e Andressa, tudo isso que escrevi parece muito carinhoso demais, talvez em excesso, mas vocês sabem da importância que tem para mim.

E o tempo continua passando... passando...

3 comentários:

Everton disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sergio Bueno disse...

Muito Bonito.!!!

Anônimo disse...

Ma, muito obrigada por todas as palavras... É muito bom quando existe gratidão, mas quero dizer, por mim e pelo Laerto, que faríamos tudo novamente, vc é muito especial para nós.
bjs